Archive for Setembro, 2007

Incêndios devastam Paraguai

Setembro 29, 2007

incendio_paraguai.jpgOs incêndios que nas últimas quatro semanas têm assombrado o Paraguai causaram já cerca de 40 mil sinistrados e mais de um milhão de hectares de floresta ardida, segundo dados da Secretaria de Emergência Nacional. Só na passada sexta-feira havia o registo de 170 fogos activos no Noroeste do país.

Para responder a esta enorme catástrofe, têm sido várias as ajudas internacionais provenientes dos mais diversos estados.

O governo do Brasil mostrou-se solidário ao enviar quatro aviões cisterna que, desde o princípio de Setembro, se juntaram aos helicópteros da Força Aérea paraguaia no combate às chamas dos muitos incêndios florestais que lavram o país.

Por seu turno, a Venezuela facultou dois helicópteros militares e ainda contribuiu com uma ajuda monetária no valor de mais de um milhão de dólares, que foi entregue à Secretaria de Emergência Nacional.

Já a União Europeia anunciou publicamente, em Assunção, que irá entregar ao governo do Paraguai ajuda no valor de um milhão e meio de dólares, para apoio às comunidades indígenas e aos agricultores, que viram os seus bens reduzidos a cinzas.

Através do Departamento de Ajuda Humanitária da Comissão Europeia, a UE pretende fazer a distribuição de alimentos e de materiais para a construção de alojamentos temporários, e, ainda, fornecer assistência médica e permitir o restabelecimento de água potável.

O estado de emergência nacional, com uma duração inicial de 60 dias, foi declarado pelo presidente, Nicanor Duarte, a 12 de Setembro, em virtude da “grande dimensão dos incêndios no Paraguai”.

As razões principais para grande parte destes incêndios foram as queimadas feitas por agricultores, com o propósito de limpar e fertilizar os seus terrenos. As autoridades locais já detiveram mais de uma dezena de pessoas.

 

Texto: Sérgio Mendonça

Fonte: Lusa

Foto: Diário da Amazônia

 

Homens queimados vivos por roubarem gado no Peru

Setembro 29, 2007

pampas_tayacaja_peru.jpgCinco ladrões de gado foram queimados vivos pela população de uma aldeia em Pampas de Tayacaja, no Peru, que decidiu fazer justiça pelas próprias mãos, sendo que um dos assaltantes conseguiu escapar da ira popular, conforme informações da polícia de Huanvacelica.

Os cinco homens terão sido amarrados e espancados, antes dos aldeões lhes deitarem fogo, na madrugada de quinta-feira, altura em que a comunidade andina de San Miguel, localizada a 3.600 metros de altitude, os terá apanhado em flagrante a roubarem gado.

Segundo a polícia local, os habitantes de San Miguel agiram desta forma em resposta ao facto de “as autoridades terem libertado outro ladrão de gado” e também porque “os cinco homens já tinham sido acusados de vários outros crimes, de roubo de gado na zona”.

No Peru, desde há vários anos que os presumíveis ladrões são linchados em público ou queimados vivos pelos acusadores, algo que ocorre em consequência da demora ou mesmo ausência do sistema legal.

Texto: Sérgio Mendonça

Fonte: Lusa

Foto: http://www.pulsodigital.com

Fuga radioactiva em central nuclear na Bulgária

Setembro 29, 2007

central_nuclear_kozloduy1.jpgFoi detectada, na passada quinta-feira, uma ligeira fuga radioactiva na central nuclear de Kozlodoui, na Bulgária, sem que, no entanto, houvesse contaminação do pessoal, conforme anunciou o director da central, Ivan Guenov.

“A fuga foi originada na soldadura de um tubo pelo qual passam águas radioactivas. Não há nenhum perigo para o pessoal”, garantiu Guenov a uma rádio nacional búlgara.

Em comunicado, a direcção da central declarou que “um ligeiro aumento do fundo radioactivo foi constatado nomeadamente durante um controlo de rotina, quinta-feira, na parede exterior do corpo especial que está situado em frente dos reactores 5 e 6”.

O referido corpo “serve para transportar, tratar e preservar soluções radioactivas. O acidente ocorreu depois de um transporte de solução radioactiva”, esclarece o comunicado.

Os responsáveis da central de Kozlodoui estimam que o acontecimento sucedido deva ser classificado ao nível 0 da escala internacional de acidentes nucleares (INES), a qual é constituída por oito graus de gravidade, de 0 a 7 (como foi o caso do acidente de Chernobil), sendo que o nível 0 é, logicamente, o menos grave.

Esta central nuclear búlgara foi parcialmente encerrada em vésperas da adesão da Bulgária à União Europeia, a 1 de Janeiro de 2007, por pedido da UE, que evocou motivos de segurança.

Actualmente, apenas dois reactores, se mantêm em funcionamento, o 5 e o 6, a 1000 MW cada um, os restantes, já obsoletos, foram fechados.

Texto: Sérgio Mendonça

Fonte: Lusa

Foto: BBC