Archive for the ‘5ª Edição’ Category

Samuel Moreno é o novo presidente de Bogotá

Outubro 29, 2007

samuel-moreno_presidente_bogota.jpg

Samuel Moreno, candidato do partido de esquerda Pólo Democrático, foi eleito, este domingo, presidente da câmara de Bogotá, capital da Colômbia.

Moreno conquistou 43 por cento dos votos, enquanto o seu adversário, Enrique Penalosa, que contou com o apoio do presidente colombiano, Álvaro Uribe, durante a campanha, ficou-se pelos 28 por cento.

O novo presidente de Bogotá é o filho mais novo do ditador Gustavo Rojas Pinilla, militar que governou a Colômbia nos anos 50.

Nas primeiras declarações públicas, Moreno afirmou que será “o presidente de todos os habitantes da capital colombiana” e revelou que espera “construir uma Bogotá positiva onde todos possam viver melhor”.

Eram cerca de 27 milhões os colombianos que estavam recenseados para votar nas eleições dos prefeitos e vereadores de 1100 municípios e dos governadores de 32 departamentos.

A segurança ficou a cargo de cerca de 160 mil polícias, ao mesmo tempo que observadores da Organização dos Estados Americanos e da Missão de Observação Eleitoral acompanharam de perto estas eleições.

As autoridades garantem que o acto eleitoral decorreu com total normalidade, não se tendo registado qualquer incidente.

Texto: Sérgio Mendonça

Fonte: Lusa

Foto: Rádio Santa Fe

Cristina Kirchner eleita presidente da Argentina

Outubro 29, 2007

cristina_kirchner_presidente_argentina.jpgCristina Kirchner, a mulher do presidente cessante da Argentina e candidata favorita à vitória nas presidenciais deste domingo, foi eleita presidente do país sul-americano à primeira volta, segundo as sondagens à boca das urnas divulgadas pelas televisões argentinas.

As sondagens revelam que Kirchner, de 54 anos, conseguiu obter 46 por cento dos votos, enquanto que a sua principal adversária, a deputada liberal Elisa Carrio, alcançou apenas 24 por cento.

A lei eleitoral argentina estabelece que um candidato só é eleito presidente quando atinge na primeira volta 45 por cento dos votos ou 40 por cento desde que tenha mais 10 pontos de vantagem sobre o segundo candidato mais votado.

Curiosamente Cristina Kirchner sucederá, a 10 de Dezembro, ao seu marido, Nestor Kirchner, na presidência da Argentina.

Kirchner é assim a primeira mulher presidente eleita na Argentina, não sendo, no entanto, a primeira chefe de Estado do país, uma vez que Isabel Peron, terceira mulher do presidente Juan Peron, assumiu a presidência em 1974, após o falecimento do marido.

Para além do Presidente e do vice-presidente, os cerca de 27 milhões de argentinos recenseados elegeram ainda os governadores de oito das 23 províncias e as autoridades municipais, tendo sido ainda renovada metade da Câmara de Deputados e um terço do Senado.

Texto: Sérgio Mendonça

Fonte: Lusa

Foto: Barrios de Pie

Eleições parlamentares russas com 11 partidos

Outubro 28, 2007

putin_kremlin.jpgA Comissão Eleitoral Central da Rússia autorizou, este domingo, 11 partidos políticos a concorrerem nas eleições parlamentares do próximo dia 2 de Dezembro, nas quais serão eleitos 450 deputados da Duma Estatal (câmara baixa) do Parlamento russo.

De fora ficam três forças políticas por não terem apresentado o número mínimo exigido de assinaturas válidas de apoio às suas listas, nomeadamente o Partido dos Verdes, o Partido União Popular e o Partido Paz e Unidade da Rússia.

Entre os 11 participantes eleitorais, há três que foram criados pelo Kremlin com o objectivo de conquistar diversos eleitorados, mais concretamente o Partido Força Cívica, de centro-direita, o Partido Rússia Unida, do centro, e o Partido Rússia Justa, de centro-esquerda.

A oposição de esquerda ao Presidente Putin será composta pelo Partido Comunista da Federação da Rússia, Partido Agrário da Rússia, Partido Patriotas da Rússia e Partido da Justiça Social.

Na direita liberal, em oposição à política do Kremlin, estarão o Partido Iabloko e a União das Forças de Direita.

O populismo e o nacionalismo estarão representados nestas eleições pelo Partido Nacional Democrático da Rússia.

A última sondagem realizada pelo Levada Tzentr revela que apenas dois grupos políticos deverão ultrapassar a barreira dos 7 por cento, necessária para eleger deputados: o Partido Rússia Unida, que tem como cabeça de lista o Presidente Vladimir Putin, podendo conseguir cerca de 67 por cento dos votos, e o Partido Comunista da Federação da Rússia, que poderá chegar aos 17 por cento.

Relativamente às restantes forças políticas, o Partido Nacional Democrático da Rússia é o que está mais próximo de atingir o número suficiente de votos para eleger deputados, com 6 por cento das intenções do eleitorado.

Texto: Sérgio Mendonça

Fonte: Lusa

Foto: Galiza CIG